Webinar sobre doenças emergentes e impactos no meio ambiente está disponível na íntegra

Na última sexta-feira (5/6), Dia do Meio Ambiente, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) realizou a webconferência “Doenças emergentes e os impactos no meio ambiente”, com especialistas na área da saúde e de saneamento. 

Ao tratar dos Impactos da Covid-19 no Saneamento, o Coordenador de Fiscalização da Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba,Capivari e Jundiaí (ARES-PCJ), Daniel Manzi, ressaltou os cuidados gerais que devem ser tomados pelos profissionais que atuam diretamente na área de saneamento e também pela população de forma geral, uma vez que a água é um recurso fundamental para combate da Covid-19. “A população precisa ter sempre água potável em quantidade e qualidade, ou seja, não pode faltar. Em situações que eventualmente eram toleráveis, é preciso acionar a empresa de saneamento e, na ausência de resposta, levar a demanda ao órgão regulador”, explicou.

A pró-reitora de Pesquisa da UFLA, professora Joziana Barçante, que atua nas áreas de doenças negligenciadas, doenças emergentes, doenças infecciosas e parasitárias, tratou sobre a relação entre Leishmaniose e Meio Ambiente, abordando o conceito de saúde única. “Hoje fala-se muito na integração entre as áreas, em que trabalhamos a saúde humana e a saúde animal integradas com a vigilância e a saúde ambiental, buscando o equilíbrio em todos os contextos. Por esse motivo, é fundamental abordar a questão da Leishmaniose Visceral, um assunto de importância mundial. São 350 milhões de pessoas em risco, 12 milhões de infectados e uma incidência anual estimada em 500 mil casos por ano”, reforçou a pesquisadora, que falou sobre o trabalho desenvolvido pela UFLA em parceria com o Município de Lavras para combate e controle da doença.

A conferência online foi mediada pela chefe de setor de Resíduos Químicos e coordenadora do curso de Engenharia Química da UFLA, Zuy Maria Magriotis. Ao final, os participantes puderam fazer perguntas e comentários, que foram respondidos pelos especialistas.

Assista ao webinar na íntegra:

https://www.youtube.com/watch?v=jE54OVxnQBQ

 

A preservação do Meio Ambiente pode evitar o surgimento de outras doenças como a Covid-19

Dia 5 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente. A data é considerada a principal pela Organização das Nações Unidas (ONU), já que mais de 100 países promovem uma mobilização global de sensibilização pública sobre o tema. Para falar desse assunto, professores da Universidade Federal de Lavras (UFLA) explicam como o desequilíbrio ambiental está diretamente ligado ao aparecimento de doenças como a Covid-19.

Ao se falar sobre a pandemia, aparecem inúmeros questionamentos: “Como surgiu esse vírus?”; “foi transmitido por algum animal?”; “será que viveremos outra pandemia?”; por isso, profissionais da UFLA trazem algumas respostas e reflexões sobre a importância de se cuidar do meio em que se está inserido.

A professora do Departamento de Ciências da Saúde (DSA) Joziana Barçante explica que ao fazer um paralelo do que já ocorreu no mundo, no sentido de doenças transmitidas de animais para seres humanos nas últimas décadas, é possível verificar diversas zoonoses que ganharam destaque na mídia internacional, entre elas estão ebola, zika vírus, gripe aviária e gripe suína.

Para compreender como essas doenças são transmitidas de animais para os seres humanos, a professora traz a Covid-19 como exemplo, já que se trata de uma infecção causada por um vírus que tem origem em animais silvestres. “De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), essa infecção acometeu humanos a partir da ingestão de animais silvestres comercializados em um comércio de peixes na China. Por essa razão, a OMS preconiza que exista um controle sanitário rígido em relação aos produtos de origem animais que venham a ser comercializados e consumidos por humanos”, explica.  

Segue o link com a matéria completa:

https://ufla.br/noticias/pesquisa/13788-a-preservacao-do-meio-ambiente-pode-evitar-o-surgimento-de-outras-doencas-como-a-covid-19

ONU reconhece contribuição de pesquisa do Departamento de Direito para a Agenda 2030

Os países membros da Organização das Nações Unidas têm como horizonte uma agenda de objetivos de desenvolvimento sustentável a ser alcançada até 2030. O documento apresenta propostas para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar, proteger o meio ambiente e enfretar as mudanças climáticas. Ciente da existência de desafios para a implementação dessa agenda, o portal Impacto Acadêmico da ONU (UNAI, do inglês United Nations Academic Impact) reconhece a pesquisa “Agenda 2030 e dilemas para alcançar o desenvolvimento sustentável”, do Departamento de Direito da Universidade Federal de Lavras (DIR/UFLA), como uma abordagem prática com importantes contribuições.

De acordo com o coordenador e professor de Direito Internacional da UFLA, Pedro Ivo Diniz, “o projeto discute a compreensão do desenvolvimento sustentável, seu caráter normativo e obstáculos à sua realização”. Procura-se, entre outros objetivos, diminuir o grau de incerteza conceitual que envolve o tema; reconhecer a centralidade das questões relacionadas à pobreza e à desigualdade; descontruir a justaposição entre as dimensões econômica e social, propondo uma abordagem que combine preocupações sociais, ambientais e econômicas.

Entre os resultados obtidos até o momento, a pesquisa identifica que as tentativas para conseguir a integração desses três pilares carecem de eficácia e coerência. Quando essas dimensões divergem, os valores sociais devem receber prioridade, aliados às considerações ambientais, ambos se impondo a interesses estritamente econômicos. Esses últimos são justificados apenas na medida em que resultam em ganhos sociais significativos.

“As questões e políticas sociais que formam a base para garantir que as pessoas possam viver com dignidade se sobrepõem às preocupações ambientais. No entanto, se a obtenção de condições para uma vida digna só for possível mediante um custo ambiental irreparável, já teremos fracassado no objetivo do desenvolvimento sustentável”, ressalta Pedro.

Segue o link da matéria na íntegra:

https://ufla.br/noticias/internacionalizacao/13771-onu-reconhece-contribuicao-de-pesquisa-do-departamento-de-direito-para-a-agenda-2030

UFLA sediou workshop do GreenMetric sobre sustentabilidade nas universidades

Pela primeira vez, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) sediou o “National Workshop do UI GreenMetric for Universities”. A terceira edição do evento foi realizada nos dias 9 e 10 de setembro, com o objetivo de possibilitar o compartilhamento das melhores práticas de sustentabilidade adotadas nos campi universitários – identificadas por intermédio do ranking anual realizado pela GreenMetric , além de incentivar a colaboração e o aprendizado entre as Universidades.

Leia a matéria na íntegra:

National Workshop on UI GreenMetric for Universities será na UFLA- submissão de resumo até 18/8

O III National Workshop on UI GreenMetric for Universities in Brazil – 2019, organizado pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), será realizado entre os dias 9 e 10 de setembro. Trata-se de uma oportunidade para trocar experiências, apresentação de trabalhos e compartilhamento das melhores práticas na criação de condições sustentáveis nos campi universitários, além de um incentivo à colaboração e aprendizado entre as Universidades.

Podem ser submetidos resumos de trabalho de estudantes de graduação e pós graduação, professores, técnicos e profissionais da área, com a temática sustentabilidade nas universidades. A data limite de entrega dos resumos é 18 de agosto. Já o prazo de inscrição ao evento é 6 de setembro (site do evento: http://www.eventos.ufla.br/workshopgm/).

 

Leia a matéria na íntegra

Diretoria de Meio Ambiente da UFLA promove treinamento para colaboradores terceirizados

Entre os dias 8 a 10/5 a Diretoria de Meio Ambiente da Universidade Federal de Lavras (DMA/UFLA) está promovendo, no Anfiteatro do Departamento de Ciência da Computação, o treinamento “Gestão Ambiental na Prestação de Serviço de Limpeza”. O objetivo é abordar temas como economia de água e energia, gestão de resíduos e segurança no trabalho. O treinamento mobiliza cerca de 160 colaboradores terceirizados.

 

Leia a matéria na íntegra.

Plano Ambiental da UFLA figura na relação de práticas validadas pelo 1º Prêmio ODS Brasil

A Secretaria de Governo da Presidência da República (Segov) e a Secretaria Nacional de Articulação Social (Snas) publicaram em dezembro de 2018 o relatório da primeira edição do Prêmio Nacional para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Prêmio ODS Brasil). O Plano Ambiental e Estruturante da Universidade Federal de Lavras (UFLA) figura na relação das 39 iniciativas validadas pelo Prêmio.

Leia a matéria na íntegra:

Projeto reduz pela metade consumo de energia elétrica da Estação de Tratamento de Esgoto da UFLA

Pesquisa aponta que filtros de ar podem ser desligados durante o dia sem prejudicar o processo de tratamento de esgoto.

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) abriga diversos estudos sobre maneiras mais eficientes para o tratamento de efluentes. Uma dessas pesquisas é coordenada pela professora Camila Silva Franco, do departamento de Engenharia Ambiental e Sanitária, e resultou em uma economia de 50% na energia elétrica utilizada na estação. O projeto “Efeito de diferentes tempos de aeração na eficiência de remoção de matéria orgânica e nitrogenada” originou a dissertação da mestra em tecnologias e inovações ambientais Cirlene Tagliatti da Silva.

Leia a matéria na íntegra:

 

Projeto de Eficiência Energética da UFLA foi contemplado com mais recursos para investimentos

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) foi contemplada, mais uma vez, pela chamada pública para projetos de eficiência energética (nº 001/2018) da Cemig. Os resultados da avaliação foram divulgados na sexta-feira (14/9) e garantirão à UFLA mais R$ 1.117.088,98 em recursos, que serão utilizados na terceira etapa do projeto de eficientização energética do câmpus. Esse valor vai viabilizar a instalação de mais 8.886 lâmpadas com tecnologia de LED, que, somadas às instaladas nas fases I e II, vão integrar um total de mais de 33 mil novas lâmpadas no câmpus .

Leia a matéria na integra: